ANBIMA - Debêntures Mantido por: ANBIMA
Ajuda | Fale Conosco | Mapa do Site
Buscar
· Registros na CVM · Emissões Instrução CVM nº 476 · AGDs e Comunicados · Notícias · Sites Úteis
Fitch Atribui Rating 'AA(bra)' à Proposta de 4ª Emissão de Debêntures da Águas Guariroba 25/06/2019


A Fitch Ratings atribuiu o Rating Nacional de Longo Prazo 'AA(bra)' à proposta de quarta emissão de debêntures da Águas Guariroba S.A. (Guariroba, Rating Nacional de Longo Prazo 'AA(bra)'/Perspectiva Estável), da espécie quirografária, no montante de até BRL580 milhões e com vencimento final em 2029. As debêntures serão seniores e sem garantias reais, e seus recursos serão destinados principalmente ao reperfilamento da estrutura da dívida e a investimentos. A proposta de emissão de debêntures apresenta cláusulas de cross-default com a controladora integral da Guariroba, a Aegea Saneamento e Participações S.A. (Aegea, IDRs - Issuer Default Ratings (Ratings de Inadimplência do Emissor) em Moedas Local e Estrangeira 'BB'/Perspectiva Estável; Rating Nacional de Longo Prazo 'AA(bra)', Perspectiva Estável ).

A agência classifica a Guariroba com base no perfil de crédito consolidado da Aegea, tendo em vista as garantias da holding à maioria das dívidas de suas subsidiárias operacionais, com cláusulas de aceleração de dívida em caso de inadimplência da controladora. O forte perfil de crédito consolidado da companhia permanece sustentado pelos desempenhos operacional e financeiro de suas duas principais subsidiárias, Prolagos S.A. - Concessionária de Serviços Públicos de Água e Esgoto (Prolagos) e Guariroba. A avaliação da Aegea incorpora o desenvolvimento das recentes aquisições, que devem melhorar o perfil de negócios da empresa, diversificando operações relevantes. A Fitch considera positiva a diversificação de negócios do grupo, uma vez que dilui os riscos operacionais, regulatórios e políticos.

Os ratings da Aegea e de suas subsidiárias se baseiam no baixo risco de negócio inerente ao setor de água e saneamento no Brasil. As subsidiárias operacionais do grupo se beneficiam de uma posição quase monopolista em suas áreas de concessão, cuja demanda é altamente previsível e resiliente. O cenário-base da Fitch considera o fato de que a Aegea administrará sua alavancagem financeira liquida consolidada em até 3,5 vezes a partir de 2021 (atingindo o pico de 4,1 vezes em 2019), mantendo perfil de vencimento de dívida alongado e comprovada flexibilidade financeira.

A Perspectiva Estável dos ratings da Aegea e de suas subsidiárias se baseia na percepção da agência de que a holding administrará sua estrutura de capital em patamares moderados, alavancando suas principais subsidiárias nos próximos três anos, ao mesmo tempo em que mantém perfil financeiro consolidado compatível com a sua classificação. Além disso, o adequado desempenho das operações recém-incorporadas fortalece a expectativa de aumento de dividendos a receber e melhora a capacidade de redução da alavancagem da Aegea. A Fitch acredita que a dívida no âmbito da holding se estabilizará ou mesmo diminuirá daqui para frente.

PRINCIPAIS FUNDAMENTOS DOS RATINGS
Riscos Reduzidos do Setor: A Fitch considera baixo o risco do setor brasileiro de água e saneamento, devido à previsibilidade e à resiliência da demanda, mesmo em cenários macroeconômicos adversos, e às posições quase monopolistas das companhias na prestação deste serviço essencial. O desafio do setor é investir em expansão dos índices de cobertura, principalmente de coleta e tratamento de esgotos. Isto requer fontes adequadas de financiamento, uma vez que o retorno é de longo prazo. No entender da Fitch, as tarifas das concessões da Aegea são, em geral, satisfatórias e capazes de sustentar o equilíbrio econômico e financeiro previsto nos contratos de concessão. O setor enfrenta um risco hidrológico inerente — que, no caso da Aegea, tem sido administrável.

Expectativa de Redução da Alavancagem Consolidada: Em bases consolidadas, a Fitch acredita que a Aegea diminuirá sua alavancagem líquida, de forma sustentável, para menos de 3,5 vezes, após um pico de 4,1 vezes em 2019. A alta se deve às pressões advindas das recentes aquisições, de acordo com a metodologia da agência. A Fitch considera a tendência de redução da alavancagem importante para que o grupo mantenha índices de crédito mais compatíveis com os ratings atuais. No período de 12 meses encerrado em 31 de março de 2019, a alavancagem consolidada bruta e líquida ficou em 4,8 vezes e em 3,8 vezes, respectivamente. A projeção de queda da alavancagem não considera aquisições adicionais pela Aegea. Caso ocorram e sejam financiadas por dívida, estas podem pressionar os ratings.

Investimentos Pressionam o Fluxo de Caixa: A Fitch acredita que o fluxo de caixa livre (FCF) médio anual consolidado permanecerá negativo em BRL661 milhões de 2019 a 2021, dada a previsão de relevantes investimentos e distribuições de dividendos. Na opinião da agência, o aumento dos volumes faturados de água e esgoto e das tarifas continuará sustentando a expansão do fluxo de caixa das operações (CFFO) consolidado, atenuando a pressão no FCF. O CFFO deve totalizar BRL270 milhões em 2019 e aumentar para BRL445 milhões até 2020. No período de 12 meses encerrado em 31 de março de 2019, o CFFO do grupo ficou em BRL270 milhões, o que resultou em FCF negativo em BRL560 milhões.

Margens Operacionais Elevadas: Pelas projeções da Fitch, o perfil financeiro consolidado da Aegea continuará registrando margens operacionais elevadas em suas principais subsidiárias, Prolagos e Guariroba. As margens de EBITDA consolidadas devem aumentar gradualmente, para 56%, até 2021, beneficiadas pelas melhoras da eficiência e pela baixa estrutura de custos frente aos pares. A estimativa de EBITDA consolidado é de BRL986 milhões em 2019 (equivalente a 50% de margem), que aumentaria para BRL1,4 bilhão até 2021, em razão, sobretudo, do desenvolvimento de operações incorporadas recentemente, como Manaus e Teresina. No período de 12 meses encerrado em 31 de março de 2019, o EBITDA foi de BRL925 milhões, e a margem de EBITDA, de 51%.

Operações Relevantes a Desenvolver: A avaliação da Aegea incorpora a agressiva estratégia de crescimento do grupo por meio de aquisições e vitórias em concessões, o que requer melhorias das operações recém-incorporadas e suporte financeiro às subsidiárias em desenvolvimento. O grupo tem reduzido gargalos operacionais e capturado eficiências nas subsidiárias, o que atenua os riscos da estratégia de crescimento. A Fitch acredita que a Aegea se beneficiará de ganhos de escala nos próximos três anos, devido ao crescimento orgânico, e do desenvolvimento das novas operações, o que fortaleceria a diversificação de sua carteira. Pelas projeções da agência, a Aegea não realizará novas aquisições de concessões relevantes a médio prazo.

Risco Político Inerente ao Negócio: As operações de saneamento da Aegea se baseiam em concessões, que proporcionam respaldo regulatório às atividades do grupo. Não há proteção contra interferência política de prefeituras, que poderia prejudicar o desempenho operacional e financeiro de uma ou mais concessionárias, apesar da diversificação dos poderes concedentes. Como fator positivo, as operações da Aegea estão expostas a agências reguladoras distintas, o que implica diluição de riscos. O favorável histórico de contratos de concessão de suas duas principais subsidiárias nos últimos anos e a satisfatória capacidade do grupo de interagir com os diferentes agentes públicos e reguladores são fatores importantes na análise.

RESUMO DA ANÁLISE

O perfil de crédito da Aegea se beneficia da diversificação de suas concessões no Brasil. A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp; IDRs - Issuer Default Ratings (Ratings de Inadimplência do Emissor) em Moedas Local e Estrangeira 'BB'/Perspectiva Estável; Rating Nacional de Longo Prazo 'AA(bra)'/Perspectiva Estável) opera exclusivamente no Estado de São Paulo, o que eleva seus riscos operacionais e regulatórios. A Aegea e a Sabesp têm margens de EBITDA fortes e semelhantes, embora a primeira registre alto endividamento no âmbito da holding e alavancagem consolidada maior. A empresa paulista possui risco político mais elevado, devido a seu controle público e à acentuada exposição à dívida em moeda estrangeira. A Sabesp é a maior concessionária de saneamento do país, o que a beneficia em termos de economia de escala. A Transmissora Aliança de Energia Elétrica S.A. (IDR em Moeda Local 'BBB-' (BBB menos); IDR em Moeda Estrangeira 'BB'; Rating Nacional de Longo Prazo 'AAA(bra)', todos com Perspectiva Estável), empresa de transmissão de energia, apresenta perfil de crédito melhor que o da Aegea. Isto se deve ao seu CFFO ainda mais previsível, ao forte perfil financeiro e ao menor risco regulatório.

A atividade da Aegea no Brasil é influenciada pelo ambiente operacional do país, que está sujeito a cenários macroeconômicos voláteis. Isto explica principalmente sua diferença em relação à Wessex Water Limited (WWL; IDR 'BBB'/Perspectiva Negativa), holding inglesa de fornecimento de água. A subsidiária WWL registra forte desempenho operacional e regulatório, apesar dos índices de alavancagem líquida mais altos, em torno de 6,0 vezes.

PRINCIPAIS PREMISSAS

As principais premissas da Fitch no cenário-base da Aegea incluem:

•Aumento médio do volume anual consolidado faturado de água e esgoto em torno de 12% nos próximos três anos, sustentado principalmente pela expansão da infraestrutura das operações recém-incorporadas;
•Reajustes tarifários em linha com as estimativas de inflação, exceto na Guariroba, com recomposição de tarifas em 2019 (compensando a isenção da tarifa de consumo mínimo) e na Prolagos, que, até 2020, deve ter aumento real de 5,5% da tarifa anual;
•Investimentos médios anuais de BRL700 milhões de 2019 a 2021;
•Distribuição média anual de dividendos de BRL395 milhões nos próximos três anos.

SENSIBILIDADES DOS RATINGS

Desenvolvimentos Que Podem, Individual ou Coletivamente, Levar a uma Ação de Rating Positiva:

O IDR em Moeda Local e o Rating Nacional de Longo Prazo da Aegea poderão ser elevados se:

•O índice consolidado dívida líquida/EBITDA se reduzir para menos de 2,5 vezes, em bases sustentadas;
•As margens de EBITDA e o CFFO melhorarem acima das expectativas da Fitch, com base no fortalecimento do desempenho operacional das subsidiárias recém-incorporadas.

O IDR em Moeda Estrangeira da Aegea poderá ser elevado apenas se o IDR em Moeda Local da companhia for elevado, em virtude de elevação do teto-país do Brasil.

Desenvolvimentos Que Podem, Individual ou Coletivamente, Levar a uma Ação de Rating Negativa:

•Tendência de alavancagem líquida consolidada acima de 3,5 vezes;
•Índice caixa/dívida de curto prazo inferior a 0,8 vez, em bases consolidadas, e/ou enfraquecimento da flexibilidade financeira do grupo, principalmente no âmbito da holding;
•Aquisições relevantes financiadas por dívida.

LIQUIDEZ

Flexibilidade Financeira Satisfatória: A Fitch espera que a Aegea mantenha flexibilidade financeira e perfil de liquidez satisfatórios nos próximos três anos, ao mesmo tempo em que efetua investimentos relevantes e distribui dividendos significativos. O comprovado acesso da companhia aos mercados de crédito locais e internacionais favorece seu perfil financeiro. A expectativa de um cronograma de vencimento da dívida administrável também deve beneficiar seus índices de liquidez.

O saldo de caixa consolidado da Aegea, de BRL579 milhões em 31 de março de 2019, já exclui o caixa restrito de BRL225 milhões bloqueado por sentença judicial relativa à 'Operação Savandija'. A sentença foi parcialmente revertida, o que resultou na devolução de BRL105 milhões até maio de 2019. Para o futuro, a Fitch não estima deterioração da flexibilidade financeira da companhia em decorrência de problemas de governança. Também em 31 de março, o saldo de caixa cobria adequadamente, em 1,2 vez, a dívida de curto prazo ajustada, de BRL464 milhões, que incluía BRL109 milhões relativos ao pagamento de obrigações de aquisições.

No final de março de 2019, a dívida total, em bases consolidadas, era de BRL4,0 bilhões, dos quais BRL2,0 bilhões estavam na holding, incluindo os títulos emitidos pela Aegea Finance S.a.r.l.. A estrutura da dívida consistia, principalmente, da emissão de notas (BRL1,2 bilhão, ajustados pelos derivativos de hedge), debêntures (BRL1,2 bilhão) e empréstimos com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e com a Caixa Econômica Federal (Caixa) (BRL1,0 bilhão, ao todo). O perfil da dívida do grupo apresenta prazo médio de 5,5 anos. Não há exposição cambial, e cerca de 70% de seu cupom estão vinculados à taxa básica de juros (Certificado de Depósito Interbancário - CDI).

RELAÇÃO COMPLETA DAS AÇÕES DE RATINGS

Águas Guariroba S.A.
- Rating Nacional de Longo Prazo da proposta de quarta emissão de debêntures, no montante de BRL580 milhões e com vencimento em 2029, atribuído em 'AA(bra)'.

A Fitch classifica a Guariroba com o seguinte rating:
-- Rating Nacional de Longo Prazo 'AA(bra)'; Perspectiva Estável.



Imprimir o conteúdo Visualizar impressão Fonte: Fitch Ratings
18/10/2019
Fitch Atribui Rating 'AAA (bra)' à Segunda Emissão de Debêntures de Pirapora II Fitch Ratings
Fitch Eleva Rating da 1ª Emissão de Debêntures do TCP Para ‘AA(bra)’; Perspectiva Estável Fitch Ratings
Fitch Atribui Rating 'AAA(bra)' à 2ª Emissão de Debêntures da Arcoverde Transmissão de Energia Fitch Ratings
A Sanesalto Saneamento comunica pagamento da 2ª Emissão de Debêntures B3 – Elaborado por ANBIMA
17/10/2019
Fitch Coloca Ratings ‘A(bra)’ da Smartfit em Observação Positiva Fitch Ratings
15/10/2019
A CONCESSIONÁRIA DO SISTEMA ANHANGUERA-BANDEIRANTES comunica pagamento de valores referentes ao resgate da 6ª emissão de debêntures B3 – Elaborado por ANBIMA
A Triângulo do Sol Auto-Estradas comunica pagamento de juros e amortização aos debenturistas da 2ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
A Rodovias das Colinas comunica pagamento de juros e amortização aos debenturistas da 4ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
A MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS comunica pagamento de juros e amortização aos debenturistas da 3ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
A Integração Transmissora de Energia comunica pagamento de juros aos debenturistas da 1ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
A CONCESSIONÁRIA DO AEROPORTO INTERNACIONAL DE GUARULHOS S/A comunica sobre o pagamento de proventos às debentures da 2ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
A CONCESSIONÁRIA ROTA DAS BANDEIRAS comunica pagamento de juros às debentures da primeira emissão (“ODTR11”) B3 – Elaborado por ANBIMA
COMPANHIA ENERGÉTICA DO RIO GRANDE DO NORTE comunica pagamento de juros aos debenturistas da 1ª série da 7ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
COMPANHIA ENERGÉTICA DO RIO GRANDE DO NORTE comunica pagamento de juros aos debenturistas da 2ª série da 7ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
TELEFÔNICA BRASIL S.A. comunicam sobre pagamento de Juros e principal das Debêntures da 4ª emissão - 3ª série. B3 – Elaborado por ANBIMA
A COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO – COMGÁS comunica pagamento de juros aos debenturistas da 6ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
A Equatorial Maranhão Distribuidora de Energia comunica pagamento de juros aos debenturistas da 7ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
A AES Tietê Energia comunica pagamento de juros aos debenturistas da 2ª série da 6ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
A CTEEP – Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista comunica pagamento de juros aos debenturistas da 7ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
A Light Serviços de Eletricidade comunica pagamento de juros aos debenturistas da 15ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
Fitch Atribui Rating 'AAA(exp)(bra)' à Proposta de 2ª Emissão de Debêntures da Rota das Bandeiras Fitch Ratings
Fitch Afirma Ratings ‘A+’/‘AAA(bra)’ da Emissão de Debêntures de Pirapora Fitch Ratings
14/10/2019
Fitch Afirma Rating ‘AA(bra)’ da 1ª Emissão de Debêntures da EDP Aliança; Perspectiva Estável Fitch Ratings
Fitch Afirma Rating ‘AAA (bra)’ da 2ª Emissão de Debêntures de Serra da Babilônia Fitch Ratings
A Concessionária das Rodovias Ayrton Senna e Carvalho Pinto comunica sobre o pagamento de juros, amortização e correção sobre as debêntures da primeira emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
A Rodovia das Colinas comunica pagamento de juros aos debenturistas da 5ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
A Equatorial Maranhão Distribuidora de Energia comunica pagamento de juros e principal aos debenturistas da 6ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
A CONCESSIONÁRIA DO SISTEMA ANHANGUERA-BANDEIRANTES comunica pagamento de juros aos debenturistas da 6ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
11/10/2019
PBH Ativos comunica pagamento de juros, amortização e correção monetária aos debenturistas da 2ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
Lojas Renner comunica pagamento de juros e amortização às debêntures da 9ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
Santo Antônio Energia comunica pagamento de juros aos debenturistas da 3ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
10/10/2019
Lojas Renner comunica pagamento de juros e amortização aos debenturistas da 9ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
Fitch Mantém Rating da 4ª Emissão de Debêntures de Linhas de Taubaté em Observação Negativa Fitch Ratings
09/10/2019
Fitch Afirma Rating 'AA (bra)' da 1ª Emissão de Debêntures da Serra das Vacas II Fitch Ratings
08/10/2019
Fitch Atribui Rating 'AA+(exp)(bra)' à Proposta de 1ª Emissão de Debêntures da Ecoponte Fitch Ratings
07/10/2019
Rodovias das Colinas comunica pagamento amortização extraordinária facultativa às debentures da 7ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
Rodovias das Colinas comunica pagamento de juros e amortização do principal às debentures da 7ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
03/10/2019
Fitch Atribui Rating 'AAA(exp)(bra)' à Proposta de Segunda Emissão de Debêntures de Pirapora II Fitch Ratings
02/10/2019
Equatorial Energia comunica pagamento de juros aos debenturistas da 3ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
27/09/2019
Termelétrica Pernambuco III comunica pagamentos referentes à primeira emissão de debêntures B3 – Elaborado por ANBIMA
26/09/2019
Fitch Atribui, Pela Primeira Vez, Rating 'AAA(bra)' à Alsol Energias Renováveis Fitch Ratings
24/09/2019
VALE S.A. retifica comunicado sobre pagamento de remuneração semestral de debêntures participativas B3 – Elaborado por ANBIMA
23/09/2019
VALE S.A. comunica pagamento de remuneração semestral de debêntures participativas B3 – Elaborado por ANBIMA
Fitch Atribui 'AAA(exp)(bra)' à Proposta de Emissão da Arcoverde Transmissão de Energia S.A. Fitch Ratings
Fitch Atribui 'AAA(exp)(bra)' à Proposta de Emissão da SE Vineyards Transmissão de Energia S.A. Fitch Ratings

« Notícias Anteriores | Próximas Notícias »

Ao obter informações através deste site você declara conhecer e aceitar os termos de exoneração de responsabilidades e de direitos autorais da ANBIMA.