ANBIMA - Debêntures Mantido por: ANBIMA
Ajuda | Fale Conosco | Mapa do Site
Buscar
· Registros na CVM · Emissões Instrução CVM nº 476 · AGDs e Comunicados · Notícias · Sites Úteis
Novo papel acirra a briga pelo investidor 21/12/2009

As recém-criadas letras financeiras, títulos de renda fixa que serão emitidos pelos bancos, vão roubar espaço hoje ocupado por outros títulos de renda fixa privados, principalmente Certificados de Depositado Bancário (CDBs), também emitidos pelos bancos, e debêntures, ofertadas pelas empresas. Banqueiros e gestores de fundos ouvidos pelo Valor afirmam que haverá uma realocação dos ativos nas carteiras, tornando a disputa pelo bolso do investidor mais acirrada.

Hoje, depois dos títulos públicos federais, o CDB é o papel de maior total nas mãos dos investidores do mercado de renda fixa. Segundo dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA), o estoque de CDBs somava R$ 831 bilhões no fim de novembro, ante R$ 276 bilhões de debêntures.

Porém, o lançamento das letras financeiras trará novas características às captações bancárias. Ao contrário da maioria dos CDBs, os novos títulos não possuem liquidez diária - permitindo captações de mais longo prazo. Além disso, podem embutir garantias reais ao investidor e serem vendidos em ofertas públicas.

Para Fabio Mazzeo, presidente do Metrus, fundo de pensão dos funcionários do Metrô de São Paulo, as letras podem se tornar para as fundações um ativo mais atrativo do que um CDB. "As notas podem ser interessantes, principalmente como alternativa de aplicação de mais longo prazo, por causa da garantia extra." O CDB só conta com o Fundo Garantidor de Crédito até o limite de R$ 60 mil.

Outro fator que deve atrair os investidores é a maior facilidade de comparação entre as taxas que os bancos pagam para captar recursos. "Por ser um valor mobiliário, haverá um mercado mais transparente de dívida bancária. Hoje, para descobrir o quanto cada instituição paga, o investidor precisa ficar ligando de banco em banco", avalia Arturo Profili, gestor de crédito privado da Capitânia.
A expectativa dos investidores é de que as letras financeiras venham a ter um mercado secundário, algo ainda bastante incipiente entre as debêntures. Os CDBs não podem ser negociados no mercado secundário. Para os bancos, desenvolver a revenda das letras é interessante, pois permite que eles criem uma referência de preços para captações.

São essas características que devem fazer a letra financeira roubar o espaço que o CDB tem dentro dos ativos de renda fixa. "Mas isso não significa que o CDB vai morrer. Esses dois tipos de captação vão se tornar complementares. Alguns investidores vão continuar preferindo ter a possibilidade de resgate a qualquer momento", afirma Márcio Hamilton Ferreira, diretor de finanças do Banco do Brasil. As instituições financeiras avaliam, por exemplo, que as pessoas físicas vão continuar comprando CDBs.

A concorrência com as debêntures, no entanto, já não deve ser tão pacífica, avaliam analistas. No ano passado, de um total de R$ 40 bilhões captado por todo o mercado, só os bancos angariaram R$ 30 bilhões com a emissão de debêntures por meio de suas empresas de leasing. Esse tipo de operação, porém, deixou de ser interessante desde que passou a ser exigido o recolhimento de compulsório nas operações interbancárias com as leasings.

Por lei, os bancos não podem emitir debêntures. Mas o novo papel possui características quase idênticas a elas. Por isso, empresas chegaram a manifestar à Federação Brasileira de Bancos (Febraban) seu descontentamento com o lançamento da letra. O receio das companhias é que a emissão dos bancos concorra com as debêntures que elas ofertam. Por outro lado, muitas debêntures são, na verdade, empréstimos bancários, e nesse sentido, o alongamento do prazo de captação dos bancos pode até ajudar. "Não dá para dizer qual fatia dos recursos dos investidores a letra pegará, mas haverá uma maior concorrência entre os emissores", afirma Renato Oliva, presidente da Associação Brasileira de Bancos (ABBC).

As debêntures permitem a captação de recursos sem a intermediação bancária, ao passo que, com os recursos atraídos com as letras, os bancos é que vão poder financiar mais projetos. "Acredito que para o investidor é natural enxergar o banco como um captador de poupança, que repassa dinheiro ao setor produtivo, enquanto a função da empresa é outra", avalia Isacson Casiuch, sócio do banco Modal.

O que pode amenizar a disputa pelo bolso do investidor é a queda dos juros básicos, movimento que levará à transferência dos recursos dos títulos públicos para os privados.

Em alguns casos, as letras vão poder trazer como garantia carteiras securitizadas de recebíveis das empresas, o que as deixa ainda mais parecidas com as debêntures. "Vai ser um título com risco de banco, mas com garantia de empresa", diz Camila Goldberg Cavalcanti, sócia da área de mercado financeiro do escritório Barbosa, Müssnich.

As letras financeiras foram criadas por medida provisória na semana passada, mas sua regulamentação deve ser divulgada pelo Ministério da Fazenda em meados de janeiro, quando o ministro Guido Mantega retorna de férias. A expectativa, no governo, é que esses novos títulos só comecem a aparecer no mercado a partir de março.

Imprimir o conteúdo Visualizar impressão Fonte: Valor Econômico - Carolina Mandl e Altamiro da Silva Junior
26/02/2010
Edital de Convocação de AGD da 5ª Emissão de Debêntures da Brasil Telecom S/A Valor Econômico – Elaborado por ANBIMA
Edital de Convocação de AGE da Celulose Irani S/A Valor Econômico – Elaborado por ANBIMA/GETEC
25/02/2010
FGV divulga IGP-M de Fevereiro de 2010 Ibre/FGV – Elaborado por ANBIMA
Debênture da Cemig tem demanda de R$ 6 bilhões Valor Econômico - Carolina Mandl, de São Paulo
AGD da 5ª emissão de debêntures da Brasil Telecom S/A Valor Econômico – Elaborado por ANBIMA
Edital de Convocação de AGE da Celulose Irani S/A Valor Econômico – Elaborado por ANBIMA/GETEC
24/02/2010
Oi faz nova tentativa com debêntures Valor Econômico - Carolina Mandl, de São Paulo
Título público vira garantia para derivativos e amplia segurança DCI
AGD da 5ª Emissão de Debêntures da Brasil Telecom S/A Valor Econômico – Elaborado por ANBIMA
Retificação de certos termos e condições da AGE da 5ª Emissão de Debêntures quirografárias, simples, não-conversíveis em ações da Telemar Norte Leste S/A Valor Econômico – Elaborado por ANBIMA/GETEC
Fato Relevante da Celulose Irani S/A Valor Econômico – Elaborado por ANBIMA/GETEC
Edital de Convocação de AGE da Celulose Irani S/A Valor Econômico – Elaborado por ANBIMA/GETEC
23/02/2010
Gafisa pretende captar até R$ 1,1 bi com oferta primária DCI
Com caixa, banco capta menos CDB Valor Econômico
Retificação de certos termos e condições da AGE da 5ª Emissão de Debêntures quirografárias, simples, não-conversíveis em ações da Telemar Norte Leste S.A. Valor Econômico – Elaborado por ANBIMA/GETEC
22/02/2010
País é o que menos investe entre as maiores economias FOLHA DE S. PAULO – Pedro Soares
ANBIMA apresenta ranking de Fusões e Aquisições em coletiva à imprensa Informativo ANBIMA
AGE da 5ª Emissão de Debêntures quirografárias, simples, não-conversíveis em ações da Telemar Norte Leste S.A. Valor Econômico – Elaborado por ANBIMA/GETEC
19/02/2010
ETH Bioenergia prevê expansão acelerada e abertura de capital Fonte: Valor Econômico - Fabiana Batista
Credit Suisse planeja criar novos fundos Fonte: Valor Econômico - Cristiane Perini Lucchesi
BC estuda proposta para criar mercado de moedas no Brasil Fonte: Valor Econômico - Cristiano Romero, de Brasília
18/02/2010
Aquisição: CSN e Camargo optam por linhas na moeda brasileira, porque liquidez é grande Fonte: Valor Econômico
Brasil quer ser polo financeiro regional Fonte: Valor Econômico
Fundos de participação já captaram R$ 328,9 mi este ano Fonte: DCI
17/02/2010
Concessionárias da OHL Brasil farão emissão DCI
Caixa diversifica as fontes de captação Valor Econômico - Fernando Travaglini, de São Paulo
12/02/2010
Anatel dá novo aval à compra da BrT pela Oi Folha de São Paulo
Infraestrutura: BNDESPar sai do controle da Inepar e vende ações na bolsa Valor Econômico
11/02/2010
Comissão de Benchmarks propõe mudanças na metodologia do IMA ANBIMA
Operações devem atingir nível recorde neste ano Valor Econômico - Vera Saavedra Durão
10/02/2010
Mercado de capitais impulsiona resultado Valor Econômico - Fernando Travaglini e Eduardo Laguna
09/02/2010
Bancos brasileiros tomam conta de emissões DCI
08/02/2010
Metade dos títulos de renda fixa foi vendida a investidor em 2009 Cristiane Perini Lucchesi e Carolina Mandl
Emissões de debêntures crescerão até 20% com infraestrutura e fusões Cristiane Perini Lucchesi e Carolina Mandl
BNDES garante internacionalização do grupo JBS Jornal do Commercio - Nicola Pamplona e Adriana Chiarini
05/02/2010
FGV divulga IGP-DI de janeiro de 2010 Ibre/FGV – Elaborado por ANBIMA
IBGE divulga IPCA de janeiro de 2010 Ibre/IBGE – Elaborado por ANBIMA
Errata do edital de convocação da AGE da Inepar S/A Indústria e Construções Valor Econômico – Elaborado por ANBIMA
04/02/2010
Edital de Convocação de AGD da 1ª emissão de debêntures da Andrade Gutierrez Participações S/A Valor Econômico – Elaborado por ANBIMA
03/02/2010
Oi suspende emissão por conta de dúvidas sobre Brasil Telecom DCI
Debêntures da MRV Valor Econômico
Construção civil recupera terreno DCI
Comunicado ao Mercado da Telemar Norte Leste S/A Valor Econômico – Elaborado por ANBIMA
Edital de Convocação de AGD da 2ª emissão de debêntures da Buettner S/A Indústria e Comércio Valor Econômico – Elaborado por ANBIMA
Quadro com as debêntures mais negociadas no mês ANBIMA
02/02/2010
Empresas emitem renda fixa para aproveitar o juro baixo DCI
Oi suspende debênture de R$ 2,3 bi Valor Econômico - Carolina Mandl
JBS conclui processo de capitalização Valor Econômico - Eduardo Laguna
Anúncio de Encerramento de Distribuição da 2ª emissão de debêntures da Brookfield Incorporações S/A Valor Econômico – Elaborado por ANBIMA
Aviso ao Mercado da MRV Engenharia e Participações S/A Valor Econômico – Elaborado por ANBIMA
01/02/2010
Associação integra seus escritórios no Rio de Janeiro Informativo ANBIMA
Ata de AGD da 6ª emissão de debêntures da Net Serviços de Comunicação S/A Valor Econômico – Elaborado por ANBIMA
29/01/2010
BNDES apoiará ofertas de ações O Estado de São Paulo - Alexandre Rodrigues e Adriana Chiarini
Brookfield consegue R$ 366 mi em oferta Valor Econômico - Carolina Mandl
JBS adia a oferta de ações nos EUA Valor Econômico
Trisul capta R$ 300 mi para financiar 4 mil habitações DCI
28/01/2010
FGV divulga IGP-M de janeiro de 2010 Ibre/FGV – Elaborado por ANBIMA
Caixa financia 4 mil unidades em São Paulo O Estado de São Paulo - Edna Simão
Anúncio de Início de Distribuição Pública de Debêntures da 2ª emissão da Brookfield Incorporações Valor Econômico – Elaborado por ANBIMA

« Notícias Anteriores | Próximas Notícias »

Ao obter informações através deste site você declara conhecer e aceitar os termos de exoneração de responsabilidades e de direitos autorais da ANBIMA.