ANBIMA - Debêntures Mantido por: ANBIMA
Ajuda | Fale Conosco | Mapa do Site
Buscar
· Registros na CVM · Emissões Instrução CVM nº 476 · AGDs e Comunicados · Notícias · Sites Úteis
Fitch Atribui Rating 'AA(bra)' à Proposta de 9ª Emissão de Debêntures da Sanepar 07/05/2019


A Fitch Ratings atribuiu o Rating Nacional de Longo Prazo 'AA(bra)' à proposta de 9ª emissão de debêntures da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), da espécie quirografária, no montante de até BRL350 milhões e com vencimento final em 2026. A Fitch classifica a Sanepar com o Rating Nacional de Longo Prazo 'AA(bra)', Perspectiva Positiva. Os recursos da emissão serão destinados ao complemento do plano de investimentos e capital de giro da companhia. A relação completa dos ratings da empresa encontra-se ao final deste comunicado.

Os ratings da Sanepar se apoiam no baixo risco de negócios do setor de saneamento básico brasileiro. A empresa detém posição quase monopolista na prestação de serviços de fornecimento de água tratada e de coleta e tratamento de esgoto em sua área de atuação, que compreende parte do Estado do Paraná e um município de Santa Catarina. O perfil de crédito da Sanepar se beneficia, portanto, da maior resiliência e da previsibilidade da sua demanda e de seus resultados, testados em cenários econômicos diversos, em comparação com outros setores da economia. Em termos operacionais, a Sanepar apresenta menor exposição ao risco hidrológico quando comparada aos principais pares do setor, na opinião da agência.

Em termos financeiros, a Sanepar tem se beneficiado de comprovado acesso ao mercado de capitais e de um administrável cronograma de amortização da dívida, que favorecem sua flexibilidade financeira, além de forte estrutura de capital, com reduzida alavancagem líquida. Por outro lado, a Fitch incorporou à sua análise o risco político, devido ao controle público da companhia, com potenciais mudanças em termos de administração e estratégia a cada mudança do governo do Estado do Paraná.

A Perspectiva Positiva do rating corporativo reflete a expectativa da Fitch de que a Sanepar continuará fortalecendo sua geração de caixa operacional a partir do crescimento do volume faturado e, principalmente, de reajustes tarifários acima da inflação, com sua margem de EBITDA atingindo patamares em torno de 45% nos próximos três anos. A análise incorporou a manutenção de robustos indicadores financeiros da companhia, apesar da estimativa de fluxos de caixa livres (FCFs) negativos, pressionados pelos elevados investimentos previstos.

PRINCIPAIS FUNDAMENTOS DOS RATINGS
Reduzido Risco da Indústria: A Fitch considera baixo o risco do setor de saneamento básico brasileiro, tendo em vista a elevada previsibilidade de demanda das operadoras, mesmo em cenários macroeconômicos adversos, decorrente de suas posições quase-monopolistas na prestação de um serviço essencial à população. Na visão da agência, o desafio das empresas está relacionado à execução dos investimentos necessários para a ampliação da cobertura dos serviços, principalmente no que se refere à coleta e ao tratamento de esgoto. Estes requerem fontes de financiamento adequadas dado o fato de o retorno dos investimentos ser de longo prazo.

Melhora da Performance Operacional: A Sanepar apresenta destacado desempenho operacional na comparação com seus pares públicos do setor de saneamento básico. Esta performance ainda possui espaço para melhoria nos próximos anos em virtude da expectativa de aumentos tarifários acima da inflação, como forma de recuperar tarifas diferidas no passado, bem como pelo crescimento anual do volume total faturado em torno de 2,0% nos próximos três anos, baseada, principalmente, no aumento do número de conexões de esgoto. A expectativa da Fitch é de que os reajustes anuais com base na inflação sejam acrescidos de aproximadamente 4,5% ao ano até 2024, em decorrência do diferimento do reajuste tarifário de 2017— o que deverá manter o equilíbrio econômico-financeiro de seus contratos de programa e suportar o crescimento da rentabilidade da companhia.

Adequada Eficiência Operacional: O cenário-base da Fitch prevê EBITDA de BRL1,8 bilhão em 2019, com margem de 40%, e gradual crescimento para patamares próximos a 45% até 2021. A expectativa é de que os reajustes tarifários e os crescimentos dos volumes estimados para os próximos anos, bem como a implementação do programa de demissão incentivada, atenuem potenciais pressões em sua estrutura de custos com pessoal de curto a médio prazos, ao mesmo tempo em que contribuam para aumentar a rentabilidade da companhia nos próximos três anos. Em 2018, o EBITDA de BRL1,6 bilhão gerou uma margem de 40%.

FCF Pressionado por Investimentos: A Fitch projeta FCFs negativos para a Sanepar nos próximos três anos, com BRL504 milhões em 2019 e BRL384 milhões na média de 2020 e 2021. Estes estão sendo pressionados pelo aumento esperado nos investimentos para a faixa de BRL1,2 bilhão a BRL1,6 bilhão ao ano, além da distribuição de dividendos médio anual de BRL400 milhões no mesmo período, de acordo com as premissas da agência. Como atenuante, a gradual melhora do desempenho operacional da companhia deve elevar seu fluxo de caixa das operações (CFFO) para BRL1,1 bilhão em 2019, com gradual crescimento para BRL1,7 bilhão em 2021. Em 2018, o CFFO e o FCF da Sanepar foram de BRL1,1 bilhão e negativo em BRL136 milhões, respectivamente.

Estrutura de Capital Conservadora: Pelas estimativas da Fitch, a Sanepar será capaz de sustentar sua alavancagem financeira líquida em patamares reduzidos, abaixo de 2,0 vezes, nos próximos três anos, em decorrência, principalmente, do fortalecimento da sua geração operacional de caixa. A agência projeta um índice dívida líquida/EBITDA de 1,5 vez em 2019 e de 1,4 vez em 2020, já incorporando o aumento da dívida para financiar parte dos investimentos neste período. Em 2018, as relações dívida bruta/EBITDA e dívida líquida/EBITDA eram de 1,7 vez e de 1,5 vez, respectivamente.

Potenciais Alterações Regulatórias: A Fitch não incorpora impacto importante nas operações da Sanepar e em sua geração de fluxo de caixa em caso de mudanças do ambiente regulatório. As atuais discussões de diretrizes nacionais para água e saneamento devem facilitar o aumento da participação do setor privado e fortalecer a capacidade de investimentos no setor. Os participantes privados atualmente respondem por em torno de 6% do mercado. A Fitch acredita que o aumento da participação privada ocorrerá principalmente em companhias públicas altamente ineficientes ou em operadoras municipais locais, o que não é o caso da Sanepar.

RESUMO DA ANÁLISE

O perfil de crédito da Sanepar se beneficia do baixo risco de prestação de serviços de saneamento básico em sua área de atuação, em linha com o que ocorre com outras duas importantes empresas do setor, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) e a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), ambas avaliadas com o Rating Nacional de Longo Prazo 'AA(bra)', Perspectiva Estável.

Em termos acionários, as três apresentam risco político, decorrente do controle público, sendo que, no caso da Sabesp, a maior escala de negócios favorece sua margem de EBITDA (na faixa de 40%-45%), historicamente superior à das outras duas empresas (na faixa de 30%-40%), sendo que a expectativa é de crescimento das margens da Sanepar nos próximos três anos. A Fitch também considera o ambiente regulatório da Sabesp mais avançado que o de seus pares, sendo o risco hidrológico da Sanepar o menor das três.

Em termos financeiros, as três possuem alavancagem líquida reduzida e forte flexibilidade financeira. No caso da Sabesp, a Fitch considera sua exposição cambial negativa para o rating, tendo em vista que cerca de 50% da dívida da companhia estão denominados em moeda estrangeira.

PRINCIPAIS PREMISSAS

As principais premissas da Fitch no cenário de rating da Sanepar incluem:

-- Crescimento anual do volume faturado de água e de esgoto de 1,3% e de 2,9%, respectivamente, na média anual de 2019 a 2021;
-- Aumento da tarifa de 12,1% a partir de maio 2019 e, de 2020 a 2023, correspondendo à taxa de inflação estimada pela Fitch adicionada pelo aumento diferido corrigido (resultando na estimativa de incremento adicional de 4,5%), conforme definido na primeira revisão tarifária;
-- Investimento anual médio de BRL1,4 bilhão, de 2019 a 2021;
-- Pagamentos de dividendos correspondentes a 50% do lucro líquido anual distribuível.

SENSIBILIDADES DOS RATINGS

Desenvolvimentos que podem, individual ou coletivamente, levar a uma ação de rating positiva incluem:
-- Margem de EBITDA acima de 40%, associada a um FCF neutro a levemente negativo, em bases recorrentes.

Desenvolvimentos que podem, individual ou coletivamente, levar a uma ação de rating negativa incluem:
-- Alavancagem financeira líquida acima de 3,5 vezes, em bases sustentáveis;
-- Margem de EBITDA abaixo de 30%;
-- Relação caixa e aplicações financeiras/dívida de curto prazo abaixo de 1,0 vez;
-- Percepção, pela Fitch, de aumento do risco político e/ou regulatório da empresa.

LIQUIDEZ

Adequada Flexibilidade Financeira: O perfil de liquidez da Sanepar se beneficia de seu comprovado acesso a fontes de financiamento, do perfil de vencimento da dívida administrável e da razoável flexibilidade na implementação dos investimentos. A companhia tem aproximadamente BRL2,9 bilhões em empréstimos de longo prazo já aprovados, a serem desembolsados para suportar parte de seu plano de investimentos nos próximos cinco anos e, em especial, seu FCF negativo estimado para o mesmo período. Ao final de 2018, o saldo de caixa e aplicações financeiras, de BRL380 milhões, cobria a dívida de curto prazo, de BRL479 milhões, em 0,8 vez. Na mesma data, a dívida da Sanepar totalizava BRL2,8 bilhões, composta, principalmente, por obrigações com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Caixa Econômica Federal - BRL1,9 bilhão — e emissão de debêntures, BRL561 milhões. A Fitch considera positivo o fato de a empresa não apresentar exposição cambial.

RELAÇÃO COMPLETA DAS AÇÕES DE RATING

A Fitch atribuiu o seguinte rating à Sanepar:
-- Rating Nacional de Longo Prazo à proposta de 9ª emissão de debêntures quirografárias, no montante de até BRL350 milhões e vencimento final em 2026, 'AA(bra)'.

Atualmente, a Fitch classifica a Sanepar com os seguintes ratings:
-- Rating Nacional de Longo Prazo 'AA(bra)', Perspectiva Positiva;
-- Rating Nacional de Longo Prazo da 6ª emissão de debêntures quirografárias, no montante de BRL250 mihões e vencimento final em 2019, 'AA(bra)'.


Imprimir o conteúdo Visualizar impressão Fonte: Fitch Ratings
21/02/2020
Fitch Eleva Rating de Debêntures da Moura Dubeux para ‘BBB-sf(bra)’; Perspectiva Estável Fitch Ratings
Fitch Eleva Rating da 2ª Emissão de Debêntures da Paranaíba Para ‘AAA(bra)’; Perspectiva Estável Fitch Ratings
Fitch Retira Rating da 1ª Emissão de Debêntures da Extremoz Fitch Ratings
20/02/2020
Fitch Afirma Rating 'AAA(bra)' da 1ª Emissão de Debêntures da Porto Primavera Transmissora Fitch Ratings
Fitch Afirma Rating 'A+(bra)' das Debêntures da Voltalia SMG; Perspectiva Estável Fitch Ratings
Aviso aos debenturistas da 11ª emissão de debentures simples, não conversíveis em ações, série única da JSL B3 – Elaborado por ANBIMA
Fitch Eleva Rating da Moura Dubeux para ‘BBB-(bra)’; Perspectiva Estável Fitch Ratings
17/02/2020
Fitch Afirma Rating ‘AAA(bra)’ da Raia Drogasil; Perspectiva Estável Fitch Ratings
Petrobras paga juros das debêntures da 5ª emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
Aviso aos debenturistas da ª série, 4ª emissão de debêntures não conversíveis em ações B3 – Elaborado por ANBIMA
Aviso aos debenturistas da 1ª série, 4ª emissão de debêntures não conversíveis em ações B3 – Elaborado por ANBIMA
A AES Tietê Energia comunica pagamento da 2ª série da 7ª Emissão de Debêntures B3 – Elaborado por ANBIMA
A CTEEP comunica pagamento da 5ª Emissão de Debêntures B3 – Elaborado por ANBIMA
Pagamento de Juros e Amortização da 3ª Emissão de Debêntures da CEMIG B3 – Elaborado por ANBIMA
Aviso aos debenturistas da 7ª (sétima) emissão privada - Energisa B3 – Elaborado por ANBIMA
Aviso aos Debenturistas da 7ª Emissão de Debêntures da MRS Logística B3 – Elaborado por ANBIMA
14/02/2020
Fitch Atribui Rating 'AAA(bra)' à 1ª Emissão de Debêntures da TSM; Perspectiva Estável Fitch Ratings
A Sanesalto Saneamento comunica pagamento da 3ª Emissão de Debêntures B3 – Elaborado por ANBIMA
13/02/2020
A PBH Ativos comunica pagamento da 2ª Emissão de Debêntures B3 – Elaborado por ANBIMA
A BR Properties comunica pagamento da 1ª, 2ª, 3ª, 4ª e 5ª Séries da 2ª Emissão B3 – Elaborado por ANBIMA
A Renner comunica pagamento da 7ª Emissão de Debêntures B3 – Elaborado por ANBIMA
Fitch Afirma Rating ‘C(bra)’ da 3ª Emissão de Debêntures da Econorte Fitch Ratings
11/02/2020
Fitch Coloca Ratings ‘BB’ e ‘AA(bra)’da 2ª Emissão de Debêntures da Entrevias em Observação Negativa Fitch Ratings
06/02/2020
Pagamento de juros da 1ª, 2ª, 3ª e 4ª séries da 1ª emissão da Termelétrica Pernambuco B3 – Elaborado por ANBIMA
Fitch Rebaixa Rating da 1ª Emissão de Debêntures da Epesa para ‘A-(bra)’; Perspectiva Estável Fitch Ratings
04/02/2020
Fitch Atribui Rating 'AAA(bra)' à 1ª Emissão de Debêntures da Este; Perspectiva Estável Fitch Ratings
31/01/2020
Fitch Afirma Ratings ‘A(bra)’ do Mateus; Perspectiva Estável Fitch Ratings
29/01/2020
Fitch Afirma Rating ‘AA+(bra)’ da 1ª Emissão de Debêntures de Cantareira Fitch Ratings
28/01/2020
Fitch Atribui Rating ‘AA(exp)(bra)’ à Proposta de 2ª Emissão de Debêntures da ViaRondon Fitch Ratings
Fitch Afirma Rating ‘AAA(bra)’ da NTS; Perspectiva Estável Fitch Ratings

« Notícias Anteriores | Próximas Notícias »

Ao obter informações através deste site você declara conhecer e aceitar os termos de exoneração de responsabilidades e de direitos autorais da ANBIMA.